Sabia que...

O que é?

A meningite é uma doença caracterizada pela3

inflamação das meninges, que são umas membranas
que protegem o cérebro e a espinal medula

01

Doença3/5
súbita e grave

Pode conduzir à morte num
período de 24horas
02

Sequelas5
físicas e mentais

1 em cada 5 doentes de doença meningocócica
sofre de sequelas para toda a vida
(surdez, lesões cerebrais ou amputações)
03

Tratamento3
é possível

Desde que o diagnóstico seja rápido e
os antibióticos iniciados atempadamente

Que tipos de meningite existem? 6

Meningites
bacterianas

São as mais graves
e podem ser fatais

Meningites
víricas

São as mais comuns e,
geralmente, as menos graves

Meningites
fúngicas

São as mais raras e acontecem
habitualmente em doentes crónicos (diabetes, cancro ou infeção pelo vírus VIH/SIDA)

Meningites

causadas por

parasitas

São mais comuns nos
países menos desenvolvidos

Sobre o meningococos

A principal causa de meningite bacteriana é a Neisseria meningitidis3.

Existem seis grupos principais de meningococos responsáveis pela meningite em todo o mundo.
São eles: A, B, C, Y, W e X7/8.

    Na Europa, e em particular em Portugal 9, o grupo B (meningococos B) é o mais comum e também o principal responsável pela infeção, correspondendo a 85% dos casos registados em crianças.
mapa sobre
10No continente americano e na Austrália, os grupos mais comuns são os B e C, enquanto que o grupo A é a causa principal da doença em África e na Ásia.    

QUAIS OS SINAIS E SINTOMAS? 2

fase iniciaL

lupa sintomas

PRIMEIRAS 4 a 8 horas

Os sinais e sintomas da doença meningocócica são pouco específicos e podem ser semelhantes aos de uma gripe

As crianças apresentam:

  • Sonolência
  • Falta de apetite
  • Febre
  • Náuseas
  • Vómitos
  • Dor nas pernas
  • Irritabilidade
O diagnóstico de meningite não é fácil,
o que pode atrasar o tratamento.

Mais tarde

Sintomas clássicos

Com a progressão da doença surgem os sintomas mais típicos, que ajudam no diagnóstico:

  • Manchas na pele
  • Dor de cabeça
  • Sensibilidade à luz
  • Dificuldade em mexer o pescoço (rigidez da nuca)

Qual o impacto da doença na sociedade?

As sequelas deixadas pela meningite podem ter consequências graves e irreversíveis, com repercussão significativa a nível pessoal, escolar e profissional.

Para além disso, passam a necessitar de cuidados médicos e apoios educativos permanentes, o que se traduz num custo financeiro elevado para as famílias e para os sistemas públicos de saúde e educação. 11/12

Com base em estimativas realizadas no Reino Unido, o custo dos cuidados prestados ao longo da vida a uma criança com sequelas graves provocadas por meningite é de cerca de 2 milhões de euros, contabilizando-se os cuidados médios prestados, o apoio educativo, assistência social e outros custos do erário público 11.

Números da doença meningocócica em Portugal

Dados

Nacionais

Últimos dez anos

O grupo de meningococos predominante em Portugal foi o B, apresentando uma tendência crescente:

14200347% dos casos referentes
ao grupo B.

14201172% dos casos referentes
ao grupo B.

15201281% dos casos referentes
ao grupo B.

 

Quanto aos grupos etários, os dados mostram que o número de casos de doença 13 por meningococo B é crescente desde o nascimento, atingindo o pico aos seis meses de idade.

Até 4 meses 37,8% bonecos3713
 
Até 6 meses 67,7% bonecos6713
icon mortalidadeA taxa de mortalidade situa-se entre os 5 e os 14%, sendo que 11 a 19% dos doentes sobrevivem com alguma sequela a longo prazo, entre as quais sequelas neurológicas, perda de audição, cicatrizes e amputações. 5/14

Como posso proteger o meu filho?

A forma mais eficaz para controlo da doença meningocócica é a sua prevenção através da vacinação14.

Apesar de ainda não existirem vacinas para todos os grupos de meningite meningocócica, estas estão actualmente disponíveis para os cinco tipos mais frequentes4:

Vacinas

Nem todas as vacinas destinadas ao combate e prevenção de meningites bacterianas estão contempladas no Programa Nacional de Vacinação (PNV)14

vacinas anos

Para mais informações, consulte o seu pediatra ou médico de família

#WinForMeningitis

Campanha internacional de consciencialização lançada pela GSK, com o objectivo de garantir que os pais têm conhecimento sobre as medidas que podem tomar para proteger os seus filhos das consequências potencialmente devastadoras da doença.

A campanha conta a participação de atletas de desporto adaptado, que representam a força e beleza dos atletas que surgem simbolicamente a proteger a próxima geração. Um deles é português, chama-se Lenine Cunha e é o atleta mais medalhado do mundo.

Partilhe esta campanha

Referências:


1. Naghavi, Mohsen, et al., “Global, regional, and national age-sex specific all-cause and cause-specific mortality for 240 causes of death, 1990-2013: a systematic analysis for the Global Burden of Disease Study 2013”, The Lancet 2015, 385; 117-171. 2. Thomson MJ, et al. (2006). Clinical recognition of meningococcal disease in children and adolescents. Lancet; 367, pp.397–403. 3. Organização Mundial de Saúde, "Meningococcal Meningitis Factsheet N.º 141", novembro de 2012. 4. Centro Europeu de Prevenção e Controlo das Doenças (ECDC), Annual Epidemiological Report - Vaccine-preventable diseases - invasive bacterial diseases 2014. Publicado em 11 de fevereiro de 2015. 5. Rosenstein NE, et al., “Meningococcal disease”, N Engl J Med 2001; 344 ;1378 :88. 6. Centers for Disease Control and Prevention (CDC). Meningitis. 7. Organização Mundial de Saúde (OMS), “Meningococcal vacines position paper”, Weekly Epemiological Record N.º 47, 2011, 86, 521-540. 8. Dbaibo G, Khinkarly R, e Hedari C. (2014), Meningococcal serogroups A, C, W-135, and Y tetanus toxoid conjugate vaccine: a new conjugate vaccine against invasive meningococcal disease, IDR, p. 85. 9. European Centre for Disease Prevention and Control. (2011). Surveillance of invasive bacterial diseases in Europe. Accessed February 2016. 10. Prevention, C. (2016). Meningitis | Lab Manual | Epidemiology | CDC. Cdc.gov. Accessed February 2016. 11. Wright, Wordsworth, Glennie, “Counting the Cost of Meningococcal Disease – Scenarios of Severe Meningitis and Septicemia”, Pediatr Drugs (2013) 15:49-58 DOI 10.1007/s40272-012-0006-0. 12. Al-Janabi, et al., “Measuring Health Spillovers For Economis Evaluation: A Case Study In Meningitis”, Health Econ. (2015), publicado online em Wiley Online Library (wileyonlinelibrary.com). DOI: 10.1002/HEC.3259. 13. Simões MJ, Fernandes T, Gonçalves P, Bettencourt C, Furtado C. Doença meningocócica do serogrupo B (MenB) em Portugal: uma reflexão sobre estratégias de imunização Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge. 14. Comissão de Vacinas SIP-SPP. Novembro de 2015. Recomendações sobre vacinas extra programa nacional de vacinação. Actualização 2015/2016. 15. Doença Invasiva Meningocócica em Portugal: Vigilância Epidemiológica Integrada, 2003- 2012. Rede de Laboratórios VigLab -Doença Meningocócica. INSA, IP. Lisboa, Novembro 2015. PRT/OTH/0008/16(1) janeiro 2017